Cras Cacilda Sampaio realiza palestra alusiva à campanha Novembro Azul

Ação abordou também a prevenção ao câncer do colón do útero e de mama

O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Cacilda Sampaio realizou, na tarde de terça-feira (9), uma palestra sobre prevenção ao Câncer de Próstata, Cólon do Útero e de Mama para as idosas da unidade, localizada no bairro do Vergel. A conversa foi direcionada as usuárias que fazem parte do grupo do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).

Como forma de disseminar conhecimento, o evento marcou o início das programações referentes à campanha Novembro Azul de Conscientização sobre o Câncer de Próstata, das unidades da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas). Ao fim do debate, foram distribuídos laços azuis e repassadas informações sobre exames, diagnósticos e tratamento para que as idosas repassem a familiares e amigos.

Responsável por ser uma das idealizadoras do evento, a educadora social do SCFV, Dayse Rocha, explicou a necessidade de debater sobre a importância do autocuidado para a percepção de sintomas, além de reforçar o acompanhamento médico como meio mais eficaz para o diagnóstico.

“A saúde e o bem-estar de homens e mulheres devem ser colocados como prioridade. Nesse sentido, procuramos garantir os meios necessários para a sensibilização sobre os cuidados com a saúde. É imprescindível alertarmos sobre o diagnóstico precoce , pois sabemos que muitos homens ainda são vítimas do preconceito, onde cresce a resistência da procura de atendimento com um urologista”, afirmou a educadora

Com a retomada das atividades presenciais, a educadora destacou o comprometimento do grupo de idosas em prestigiar e debater sobre o tema.

“Com a retomada das atividades presenciais, foi nítido ver nossas usuárias emocionadas com a iniciativa. Preparamos o evento com muita satisfação, pois foram momentos difíceis que tivemos que nos resguardar e o esperado é que continuemos nos cuidando para que não seja preciso um novo afastamento” ressaltou Dayse.

Detectado com câncer de mama aos 31 anos de idade, Evandro Simplício, hoje com 63, foi o responsável por realizar a palestra educativa para o público presente na unidade socioassistencial. O palestrante, que já visitou o Centro de Referência de Assistência Social outras duas vezes, afirmou que os usuários são bem participativos e estão sempre buscando aprender sobre a saúde.

“Retornar ao Cras é muito gratificante, porque o grupo de idosos demonstra leveza na hora de conversar e transmite simplicidade na hora de aprender. O debate em si serviu para mostrar que homens e mulheres são acometidos pelo câncer de mama e que a prevenção é a melhor escolha em função da saúde. Hoje estou curado e levo o que aprendi e passei com o câncer de mama para toda a sociedade, principalmente às comunidades de Maceió”, pontuou o palestrante.

O palestrante Evandro Simplício com a usuária Valdete Santos, ambos exemplos de superação do câncer de mama. Foto: Arquivo Cras

A usuária do Cras Cacilda Sampaio, Valdete Santos, hoje com 65 anos, contou sua história de vida diante do diagnóstico de câncer de mama. Aos 30 anos descobriu o tumor e precisou fazer mastectomia. Hoje, grata por toda sua trajetória, ressaltou a importância de conversar diretamente sobre o assunto com a população da região.

“Quando o câncer é descoberto precocemente as chances de cura são altas. O meu diagnóstico só foi possível graças a minha procura por um médico. Há 35 anos atrás a situação era mais complicada, mas com o amparo necessário passei por todos os exames, removi as duas mamas e hoje sou mastectomizada. Muitas pessoas são leigas e precisam ser conscientizadas sobre procurar ajuda e se atentar ao próprio corpo. Espero que iniciativas como esta possam se repetir para que aprendamos cada vez mais”, disse a usuária.

Prevenção

Por se tratar do segundo tipo de câncer mais incidente em homens, perdendo apenas para o de pele não-melanoma, o câncer de próstata ainda é tido como tabu perante à sociedade. Apesar do preconceito envolvendo o exame de toque retal, o diagnóstico por meio do método é o mais eficiente. Por outro lado, para a detecção do câncer do cólon do útero é amplamente utilizada para o rastreamento do material cancerígeno, o teste de Papanicolau. Apesar do câncer de mama, em algumas situações, apresentar anomalias na região mamária, a orientação médica é aconselhada e a realização da mamografia é imprescindível.

Iara Alencar (estagiária) / Ascom Semas

Botão Voltar ao topo
Fechar